Nossa Comunidade

Pesquisar em nosso portal

Carregando...

Nossas notícias

Mulheres participam cada vez mais das cavalgadas de São Jorge, como acontece em Cosmos


Parte das integrantes do Grupo Cavaleiros Unidos de Cosmos
Parte das integrantes do Grupo Cavaleiros Unidos de Cosmos
A pé, elas não ficam mais. E, se ficassem, não conseguiriam chegar tão perto da imagem de São Jorge como fazem na cavalgada em homenagem ao Santo Guerreiro. O encontro religioso, que acontece em Cosmos, reúne cada vez mais mulheres montadas. São as guardiãs da fé. E também dos maridos.
— Um toma conta do outro na cavalgada. Quero saber se está tudo bem com meu marido, se ele está cavalgando na rua. E o nosso grupo já virou uma família — conta a empresária Priscila Pereira, de 34 anos.
Ela está entre os 400 participantes da montaria da "16 Festa de São Jorge", sendo que 10% deles são mulheres. Na cavalgada, promovida pelo grupo Cavaleiros Unidos de Cosmos, elas já sobressaem.
— Cavalgada era só coisa de homem. Acho que é porque São Jorge é um guerreiro. Eles se identificam mais com isso. Mas as mulheres também têm vez. E fé — diz Bárbara Pimentel, presidente do grupo.


Elas já representam 10% dos participantes da cavalgada, diz Bárbara Pimentel, presidente do Grupo Cavaleiros Unidos de Cosmos

Elas já representam 10% dos participantes da cavalgada, diz Bárbara Pimentel, presidente do Grupo Cavaleiros Unidos de Cosmos 

Sela cor de rosa e perfume no cavalo
As mulheres começaram a participar das cavalgadas há apenas cinco anos, segundo Bárbara Pimentel, presidente do Grupo Cavaleiros de Cosmos. E conquistaram até os cavalos com o seu charme.
Brio, o mangalarga castrado da empresária Priscila Pereira de Souza, nem relincha quando a dona coloca sobre ele uma sela cor de rosa. Combina com a sua cor, definida como Pampa de Preto.
— Borrifo perfume para ele chegar cheiroso. E passo até glíter na crina e no pêlo. É para dar um charme, para mostrar que as mulheres estão presentes — explica Priscila.
A cavalgada de São Jorge acontece no dia 23 de abril, que é dedicado ao Santo Guerreiro. A concentração será às 10h, em frente ao Regimento de Polícia Montada (RPMont), na Avenida dos Estados s/n, em Campo Grande.
A imagem desfila em carro aberto pela Avenida Cesário de Melo até o Rancho Fênix, onde será a festa.
Cela cor de rosa e até glíter embelezam os cavalos das mulheres 
Cela cor de rosa e até glíter embelezam os cavalos das mulheres 

Calma e delicadeza definem as amazonas
Com as roupas de Jorge, não. As amazonas do Santo Guerreiro chegam à montaria, em sua homenagem, vestindo mesmo calças jeans coladas ao corpo, além de cintos com fivelas mulherzinha e chapéus que eles jamais usariam.
— Os homens não ficam zangados. Eu mesma vou com o meu marido. Visto a camisa com a imagem de São Jorge, boto os meus brincos, o meu batom neutro e já estou pronta — conta a dona de casa Estela Doris, de 51 anos.
Ela monta a cavalo há 16 anos e já pôde observar a diferença entre as mulheres e os homens.
— Somos mais delicadas e mais calmas. Acho que as mulheres sabem lidar mais com o cavalo. E também nos sentimos guardiãs de São Jorge — palpita Estela, devota do santo guerreiro há 25 anos.
A gratidão a São Jorge começou quando ela teve uma graça alcançada pela intercessão do santo. Na época, o marido, criador de cavalos, precisava vender um potro. Mas não encontrava comprador que pagasse o seu preço. Estela foi à igreja, no dia de São Jorge, e fez o pedido.
— Fiz minhas orações e, na hora da eucaristia, pedi que, pela intercessão de São Jorge, Jesus enviasse um bom comprador, que cuidasse bem do potro. No mesmo dia bateram no meu portão. Vendemos o animal — conta Estela.
Rosa Pimentel, vice-presidente do grupo Cavaleiros Unidos de Cosmos, também agradece.
— Minha tia amansou boi rezando a São Jorge.

A imagem de São Jorge seguirá em carro aberto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Bate papo "Tudo de Bom"