Nossa Comunidade

Pesquisar em nosso portal

Carregando...

Nossas notícias

Sem luz, Santa Cruz é o primo pobre do BRT

Em Santa Cruz, a estação só tem iluminação na cabine e no letreiro, prejudicando a circulação de passageiros que usam o meio de transporte | Foto: Alexandre Brum / Agência O Dia 
Em Santa Cruz, a estação só tem iluminação na cabine e no letreiro, prejudicando a circulação de passageiros que usam o meio de transporte

Empreiteiras alegam que pararam trabalho porque a empresa de engenharia não pagou pelo serviço. A firma acusada nega e diz que obras tiveram problemas

Na mesma linha, duas realidades diferentes. Enquanto as estações do BRT Transoeste na Barra e Recreio funcionam iluminadas, limpas e com segurança, nos trechos de Santa Cruz a Paciência o cenário não é bem este.
Além do asfalto ser pior nas áreas das estações dos "primos pobres" do BRT, como Vila Paciência, Três Pontes, Cesarinho e Cesarão II, elas estão próximas a comunidades não pacificadas e com pouca segurança. Até pessoas armadas circulam por perto. Funcionam com pouca iluminação, lâmpadas espaçadas e passarelas escuras.
O motivo alegado por empresa fornecedora da luz que não terminou o serviço nos pontos citados já inaugurados é um calote de cerca de R$ 850 mil da empreiteira responsável pelas obras no trecho que vai de Campo Grande a Santa Cruz, a Sanerio Engenharia, pelo trabalho já feito nas outras estações. A Sanerio nega atraso no pagamento e diz que as obras dos empreiteiros apresentaram problemas. De acordo com a empreiteira, ela teria recebido R$ 84 milhões da Prefeitura do Rio para fazer o trecho, que vai de Campo Grande até Santa Cruz.
Outras fornecedoras do BRT Transoeste também afirmaram que não vão dar continuidade ao serviço “por não quererem trabalhar de graça”, como a responsável pelas portas automáticas, a Prime Portas Automáticas. A empresa diz que não entregará as 72 portas que faltam porque a Sanerio ainda não lhe pagou mais de R$ 1 milhão pelo o serviço feito em estações já inauguradas.

Na Barra da Tijuca, estação está bem iluminada e o entorno também, o que facilita o acesso dos passageiros mesmo durante a noite | Foto: Alexandre Brum / Agência O Dia
Na Barra da Tijuca, estação está bem iluminada e o entorno também, o que facilita o acesso dos passageiros mesmo durante a noite 
 
A empresa responsável pelo piso e parte elétrica, a Ms Damato Serviços, relata a mesma situação. Calcula uma pendência de R$ 200 mil por conta da empreiteira. “Nem a empresa que fornece as quentinhas tem recebido em dia. Por isso, as obras foram paralisadas pelos vários fornecedores, que têm contas a pagar pelo material e funcionários utilizados nas obras”, disse um empresário que não quis se identificar.
Sanerio aponta erros na finalização da obra A Sanerio, por meio de nota, negou que acumula qualquer dívida com as empresas citadas e que, pelo contrário, “as obras executadas pelos fornecedores registram problemas de finalização que precisam ser sanados” e os contratos ainda não se encerraram. Porém, afirmou que “não há hipótese de interrupção das obras em função de pendências com fornecedores”. A que fornece aço, por exemplo, já teria sido excluída. Além disso, diz que já entregou 15 das 30 estações previstas no contrato. As outra 13 estariam “semiprontas” e outras duas “em fase de construção”. De acordo com a Secretaria Municipal de Obras, todas as estações da linha de Santa Cruz a Campo Grande devem ser entregues até o final deste semestre e informou que, caso a empreiteira descumpra o contrato, ela poderá ser penalizada com as sanções previstas na legislação. Além disso, afirmou que problemas comerciais entre empresas e seus subfornecedores não são de responsabilidade da Prefeitura do Rio.

Fonte: O Dia On-line

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Bate papo "Tudo de Bom"