Nossa Comunidade

Pesquisar em nosso portal

Carregando...

Nossas notícias

Ministério Público dá prazo de dez dias para Polícia Civil enviar imagens de todas as operações com mortos ou feridos

Os agentes carregam um dos mortos durante a operação na Favela do Rola
Os agentes carregam um dos mortos durante a operação na Favela do Rola 
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) enviou, nesta terça-feira, dia 14, um ofício à chefe de Polícia Civil, delegada Martha Rocha, exigindo que a corporação repasse todos os vídeos de operações que tenham tido como consequência mortos ou feridos. Também deverão ser remetidas as imagens de todas ações em que tiros tenham sido disparados de aeronaves da polícia. O prazo para que o pedido seja atendido é de dez dias.
Na última segunda-feira, dia 13, o MP-RJ já havia solicitado que a investigação sobre cinco mortes ocorridas na Favela do Rola, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, durante uma operação na Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) em agosto de 2012, fosse repassada à Corregedoria de Polícia Civil (Coinpol). O inquérito estava na 36ª DP (Santa Cruz). O pedido foi feito pela 2ª Promotoria de Justiça junto à 1ª Vara Criminal de Santa Cruz.



O inquérito foi encaminhado ao MP na manhã de segunda, quando acabou o prazo de 120 dias para a conclusão das investigações. Após análise dos autos, o promotor de Justiça Luiz Antonio Corrêa Ayres requisitou à Corregedoria que realize novas investigações para complementar informações ausentes no inquérito. O MP estipulou um prazo de 30 dias para o cumprimento das medidas. Para isso, o inquérito foi devolvido, na manhã desta terça, para a Polícia Civil.
O promotor pede que alguns pontos sejam esclarecidos. Entre eles, saber do Hospital Rocha Faria se os cinco mortos - Douglas Vinícius da Silva, de 22 anos -, Silas Rosa Guimarães, de 26, Ewerton Luis da Cruz Neves, de 25, Paulo Serra de Souza Caetano, de 25, e Adalberto Santos da Silva, de 27 - chegaram mortos à unidade. O promotor quer ainda que os policiais da Core envolvidos na operação sejam novamente ouvidos e descrevam detalhadamente suas posições durante a ação.

Fonte: Jornal Extra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Bate papo "Tudo de Bom"