Nossa Comunidade

Pesquisar em nosso portal

Carregando...

Nossas notícias

3ª Edição da Mostra de Artes das Favelas, em Santa Cruz


Arte sem CEP. Como expressão individual e coletiva, como opção de vida, e sobretudo como integração. Essa é a proposta da Mostra de Artes das Favelas, que iniciou no última quinta, 11/07, sua terceira edição, com fotografia, maracatu, cinema, música e conhecimento na Pavuna. No domingo, no dia 14, foi a vez de Santa Cruz entrar na dança, e as artes da periferia tomam o Centro no dia 20, sábado, com atividades na Lapa.
O evento em Santa Cruz trve direito a funks “da antiga” e “concurso de barbeiros e cabelos neuróticos”, além de pagode e fotografia. O mesmo aconteceu no  Salão de Festas do Barbudo - Avenida Devanir José de Carvalho (ant. Canal 25) - Urucânia - Acesso pela Rua: Pedro Ernesto nº 3ª Conjunto Habitacional Maestro Olímpio dos Santos (Estação Tancredo Neves da Super Via - Ramal Santa Cruz). A entrada é franca.

Programação do evento:

14h00 - Abertura do evento

14h15 - Funks da Antiga

15h50 - Concurso de Beleza Garota de Urucânia

16h20 - Concurso de Barbeiros e Cabelos Neuróticos de Urucânia
16h40 - Concurso de Bondes de Funk

18h00 - Show com Bonde das Bonecas

18h30 - Show de Pagode com o Grupo Pra Lá De Bom

20h00 - Sorteio de 01 Bicicleta
Exposições:
Léo Lima (Fotografia): “Confiança”
Arthur Vianna (Fotografia): “Rotina”

O objetivo da III Mostra de Artes das Favelas é dar voz a artistas locais, valorizando o que é produzido fora dos espaços convencionais da cidade. “A Mostra conta com cinco curadores, cada um com afinidade com uma linguagem artística: artes cênicas, artes visuais, música e cultura popular. Estes curadores são encarregados, em primeiro lugar, de buscar artistas e grupos oriundos de comunidades de baixa renda do Rio de Janeiro, que tenham propostas inovadoras de trabalho. Ou seja, primeiro critério: inovação. Segundo critério: enraizamento no tecido comunitário, desenvolvendo ações com relevância para determinado território popular”, explica Vicente Pereira Júnior, do Coletivo Becos e Vielas Produções.
O Coletivo Becos e Vielas foi fundado em 2011, justamente para produzir a primeira edição da Mostra de Artes das Favelas.  A primeira edição do evento do coletivo reuniu, no Complexo da Maré, cerca de 100 artistas e grupos oriundos de diversas favelas da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.  
Do grafite à dança afro

Com apoio da Funarte através do Prêmio Interações Estéticas, a iniciativa chega à terceira edição se firmando como um espaço para que a produção cultural desses jovens chegue a um público mais amplo. Os três dias de evento celebrarão as mais diversas linguagens artísticas –  teatro, dança, capoeira, grafite, cinema, música,  gastronomia, etc –, retratando a diversidade da produção artística da periferia carioca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Bate papo "Tudo de Bom"